Os pontos do Atlas

Os 34 pontos onde é apresentada a informação situam-se a uma profundidade de cerca de 40 m. A sua selecção teve em conta a variação espacial das ondas do mar resultante da batimetria na zona costeira e da exposição da costa à agitação dominante.

Foram escolhidos 26 pontos cerca da Ilha da Madeira, 7 cerca da Ilha de Porto Santo e há ainda um ponto virtual dito "ao largo" (2000 m), que permite efectuar cálculos independentes de propagação de ondas para a costa.

Uma lista das coordenadas dos pontos encontra-se aqui.




A informação sobre a agitação incluida no Atlas foi produzida pelo modelo matemático MAR3G (Oliveira-Pires, 1993) para um período de 10 anos (1989 a 1998), usando como dados de entrada os campos de vento à superfície do Atlântico Norte fornecidos pelo ECMWF (European Centre for Medium-range Weather Forecast, Reading. U.K). Tal como no modelo WAM que está em execução no ECMWF e que foi seleccionado para o desenvolvimento do WERATLAS, a distribuição espectral em direcção e frequência da densidade da energia associada às ondas do mar que é produzida pelo MAR3G, não é imposta mas resulta unicamente da integração da equação de balanço da energia. Além disso em situações de tempestade os resultados deste modelo apresentam melhor precisão devido a uma nova parametrização da influência do vento (Oliveira-Pires, 1997).

Para obter resultados na zona costeira o modelo de geração e propagação de ondas vento (semelhante ao WAM) que calcula os espectros direccionais de energia ao largo da costa é complementado com um modelo de raios inversos que calcula a modificação destes espectros desde o largo até à zona costeira em estudo. Este modelo considera o empolamento, refracção, dissipação por atrito no fundo e o abrigo pela linha de costa e/ou ilhas vizinhas (Oliveira-Pires, 1993 e Oliveira-Pires et al, 1997).

A comparação entre séries longas de resultados do MAR3G e medidas de altura, período e direcção das ondas do mar efectuadas por bóias-ondógrafo em quatro locais ao largo da costa do continente permitiu verificar o muito bom desempenho deste modelo.

Um Relatório mais completo sobre o conteúdo e validação (em formato PDF) pode ser acedido aqui:

Referências

Oliveira Pires, H. (1993). Modelação Numérica das Ondas Geradas pelo Vento, dissertação para obtenção do grau de Doutor em Engenharia Mecânica, Instituto Superior Técnico, 222 pp.  

Oliveira Pires, H. (1997). "Parameterisation of the Effect of Wind Variability on Wave Growth Applied to Wave Modelling", The Global Atmosphere and Ocean System, Vol. 5, pp. 211-227.

Oliveira Pires, H. (1997). "Modelling the Effect of Shelter in the Modification of Waves from Open Sea to Near-Shore", J. Offshore Mechanics and Arctic Engineering, Vol. 119 No. 1, pp 70-72.

Pontes, M. T.; Mollison, D.; Cavaleri, L.; Nieto, J. C.; Athanassoulis, G. A. (1993) “Wave Studies and Development of Resource Evaluation Methodology. Final Report.”, DGXII Contract Nº JOUR-0132-PT(MNRE), 75pp.  

Pontes, M.T. (1998) “Assessing the European Wave Energy Resource”, Transactions of ASME - J. Offshore Mechanics and Arctic Engineering, Vol.120, nº4, pp. 226-231.